segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Cronos

Cronos (em grego: Κρόνος) (por vezes confundido com Chronos, Χρόνος), era a Divindade suprema da segunda geração de deuses da mitologia grega e titã, correspondente ao deus romano Saturno. A etimologia do seu nome é relativa a "tempo", pois assim como o tempo Cronos devora aos seus.Outra suposição é que poderia estar relacionada com "cornos", sugerindo uma possível ligação com o antigo demónio indiano Kroni ou com a divindade levantina El.

Filho de Urano, o Céu estrelado, e Gaia, a Terra, é o mais jovem dos Titãs. A pedido de sua mãe se tornou senhor do céu castrando o pai com um golpe de foice.
A partir de então, o mundo foi governado pela linhagem dos Titãs que, segundo Hesíodo, constituía a segunda geração divina. Foi durante o reinado de Cronos que a humanidade (recém-nascida) viveu a sua "Idade de Ouro".
Cronos casou com a sua irmã Réia, que lhe deu seis filhos (os Crónidas): três mulheres, Héstia, Deméter e Hera e três rapazes, Hades, Poseidon e Zeus.
Como tinha medo de ser destronado, Cronos engolia os filhos ao nascerem. Comeu todos exceto Zeus, que Réia conseguiu salvar enganando Cronos enrolando uma pedra em um pano, a qual ele engoliu sem perceber a troca.
Quando Zeus cresceu, resolveu vingar-se de seu pai, solicitando para esse efeito o apoio de Métis - a Prudência - filha do Titã Oceano. Esta ofereceu a Cronos uma poção mágica, que o fez vomitar os filhos que tinha devorado.
Então Zeus tornou senhor do céu e divindade suprema da terceira geração de deuses da Mitologia Grega ao banir os tios Titãs para o Tártaro e afastou o pai do trono, e segundo as palavras de Homero prendeu-o com correntes no mundo subterrâneo, onde foi encontrado, após dez anos de luta encarniçada, pelos seus irmãos, os Titãs, que tinham pensado poder reconquistar o poder de Zeus e dos deuses do Olimpo.

Curiosidades:
Segundo outras tradições, Cronos teria sido, simplesmente, adormecido e levado para a ilha misteriosa de Tule ou teria sido exilado como rei para um sítio ideal onde o "solo fértil produzia colheitas três vezes por ano" e onde se teria prolongado esta idade de ouro, definitivamente terminada com o aparecimento da terceira geração, a de Zeus e dos Olímpicos. Em outra lenda Cronos teria sido destruído e atirado no Tártaro.Outra corrente prega que Cronos fora julgado e obrigado por Zeus a vagar no deserto eternamente.

Cronos foi, por vezes, assimilado ao deus fenício Baal, a cujo ídolo eram sacrificadas as vítimas humanas.
A lenda de Cronos figura no teto da Sala dos Elementos no Palácio Vecchio, em Florença), pintado por Giorgio Vasari e Cristofano Gherardi. Goya representou Cronos devorando os seus filhos Museu do Prado, Madrid.
Cronos também tem a sua imagem e fama fortemente assimilada com jogos que envolvem a mitologia grega. Sempre em papel de vilão.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Afrodite

Introdução

Na mitologia grega, Afrodite era a deusa do amor, da beleza corporal e do sexo. Para os gregos, ela tinha uma forte influência no desenvolvimento e prazer sexual das pessoas. Era considerada também a deusa protetora das prostitutas na Grécia Antiga. Foi cultuada nas cidades de Esparta, Atenas e Corinto.

Nascimento e relacionamentos
De acordo com a mitologia, Afrodite nasceu na ilha de Chipre. Filha de Zeus (deus dos deuses) e Dione (deusa das ninfas), casou-se com Hefesto (deus do fogo). Porém, em função de suas vontades e desejos, possuiu vários amantes (homens mortais e outros deuses). Chegou a ter um filho, Enéias (importante herói da Guerra de Tróia) com o amante Anquises.

Principais filhos de Afrodite:
- Com Hermes (deus mensageiro) teve o filho Hermafrodito.
- Com Ares (deus da guerra) teve os filhos Eros (deus da paixão e do amor) e Anteros (deus da ordem).
- Com Apolo (deus da luz, da cura e das doenças) teve o filho Himeneu (deus do casamento).
- Com Dionísio (deus do prazer, das festas e do vinho) teve o filho Príapo (deus da fertilidade).

Curiosidade:
- Na mitologia romana, Afrodite era chamada de Vênus.


fonte: SuaPesquisa.com

Atena

Na mitologia Clássica, Atena era filha de Zeus, que a teve sozinho, sem intervenção feminina. Ela nasceu da cabeça do grande deus, totalmente armada, pois segundo o pensamento dos criadores do mito, se a mulher gera através da barriga, é da cabeça dos homens que saem as suas criações.

Atena permaneceu virgem. Conta-se que teve um filho do seguinte modo: foi visitar Hefesto à sua forja, afim de se prover de armas. O deus, abandonado por Afrodite, apaixonou-se por ela logo que a viu. Hefesto tentou ter relações com a deusa, que fugiu para manter sua virgindade. O sémen do deus, entretanto, caiu sobre a perna de Atena. Enojada, a deusa limpou-se com lã, que lançou para a terra. Foi da terra assim fecundada que nasceu Erictónio, que foi criado por Atena, escondido dos outros deuses, que quis torná-lo imortal. Atena colocou-o numa arca, guardado por uma serpente e confiou-o às filhas de Cécrope (Rei de Atenas), mas estas abriram a arca e viram Erictónio. Atena enlouqueceu-as e elas atiraram-se ao mar. Erictónio, mais tarde, tornou-se rei de Atenas. Grande, de aspecto calmo, mais majestosa do que bela, Atena é descrita como a "deusa dos olhos garços".
Deusa virginal da vitória e do combate, é também a deusa da sabedoria, protectora da vida política, das ciências e artes, bem como da habilidade manual.
Deusa Guerreira, armada com a lança e a égide, Atena desempenhou um papel importante na luta contra os Gigantes. Ela matou Palas e Encélado. Ao primeiro, esfolou-o e da sua pele fez para si uma couraça. Quanto a Encélado, perseguiu-o até à Sicília e imobilizou-o lançando-lhe em cima a ilha inteira.

Atena era frequentemente acolhida pelas cidades como protectora e patrona. Ela intercedia pela luta ordenada, pela defesa da terra natal de um povo. Neste sentido ela deu valiosa ajuda a alguns heróis, como Ulisses, Hércules e Aquiles.
Atena é geralmente considerada no mundo grego, e especialmente na sua cidade, Atenas, como a deusa da razão. É ela quem preside às artes e à literatura, função em que tende a suplantar as Musas. Mas ela tem mais afinidade com a filosofia do que com a poesia e a música propriamente ditas. É também como deusa da actividade inteligente que ela protege as fiandeiras, as tecedeiras, as bordadeiras, etc.

A coruja, símbolo de sabedoria, era o animal consagrado a Atena, e a sua árvore era a oliveira.


fonte: Deusa Atena

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Mais Sobre Os Elfos

Eles são os filhos de Gaia, a mãe natureza, os sidhes (que se pronuncia shee,"chi") ou o povo das colinas como são chamados e é o nome gaélico para os elfos na Irlanda e nas terras altas da Escócia. Eles vivem preferencialmente de baixo de terra e para se conseguir ver as suas casas diz-se que tem de se caminhar nove vezes à volta de uma colina numa noite de lua cheia e é então que as suas portas se abrem.Os elfos são o complemento masculino das fadas, mensageiros entre este e o outro mundo e tal como as fadas, os elfos desempenham o seu seu papel no equilíbrio da natureza, dançando e tocando instrumentos de corda, enquanto cuidam das plantas e tratam sobretudo da sua fotossíntese, pois são eles quem lidam com o sol. Ás vezes pequenas criaturas todas vestidas de verde e outras, são do tamanho de homens é nos Celtas, cultura nórdica e Gália antiga, onde os elfos são mais representados, eles são, originalmente espíritos da fertilidade e só mais tarde se tornaram seres sobrenaturais, moldados como humanos, mas permanecendo com as suas características feéricas, fossem eles muito belos (elfos da luz) ou extremamente feios (elfos negros). Eles eram adorados nas árvores, montanhas e toda a natureza e esta crença em elfos ou seres sobrenaturais é universal, pois não existe qualquer raça que nos seus tempos primitivos, numa ou outra altura, não acreditasse em seres invisíveis e fantásticos.É em especial nas ilhas britânicas que a crença é mais profunda e nas histórias dos séculos oitavo e nono, existem muitas referências a elfos e fadas, o rei dos elfos, Oberon, e a sua esposa, Titânia, aparecem em obras muito importantes da literatura medieval, tais como “Huon” de Bordeaux e “Sonho de uma noite de Verão” de Shakespeare.As histórias de elfos são várias, o poeta inglês William Blake afirmou ter visto certo dia uma procissão de elfos pelo seu jardim, carregavam o corpo sem vida de um deles sobre uma pétala de rosa, colocaram-no depois na terra e cantaram durante a cerimónia e depois desapareceram.Existem muitas outras historias e lendas, conta-se também como duas crianças foram uma vez descobertas num bosque, um rapaz e uma rapariga com a pele de cor verde pálida, assustados e sem compreender nada do que lhes era dito recusaram-se a comer até que se lhes apresentou um prato de feijão branco, aí eles comeram, sôfregos, e com o tempo eles habituaram-se à comida dos mortais mas o rapaz foi definhando aos poucos até que um dia morreu, a rapariga essa, sobreviveu aprendeu a língua dos homens e a sua tez perdeu a cor verde original e aí ela contou em como viviam num mundo subterrâneo em crepúsculo sem saberem o que era o dia e a noite e certo altura entraram num túnel guiados pelo som distante de um sino, quando chegaram ao exterior, ao ar livre em pleno meio-dia, a luz do sol deixou-os de tal forma assustados que caíram para o chão a gritar de pavor…As aparições de elfos e silfos na idade média foram tão grandes que o rei Carlos Magno e outros depois lhe seguiram, criou uma lei contra os elfos, fadas e outras manifestações, pois o povo vivia quase obcecado e tudo aquilo que lhes era desconhecido era atribuído aos seres feéricos.Mas há aqueles que preferem deixar os elfos viver nos mundos fantásticos como é o da Terra Média, os elfos de J.R.R. Tolkien e estes são os mais comuns que deram depois origem a uma grande variedade de elfos em outras literaturas de fantasia e mesmo jogos de tabuleiro como é o caso do famoso "Dungeons and Dragons", ou o jogo de PC "Warcraft". Tolkien inspirou-se nas lendas arturianas e Celtas, da antiga Inglaterra e criou os elfos da Terra Média, filhos de Iluvatar… (Galadriel, Legolas, Arwen, ...) A raça mais justa, mais sábia, mais ponderada. Imortais e sem idade, os elfos são as mais belas criaturas que se passearam pela terra, constantemente envoltas em luz.Mas será que estes seres mágicos existem mesmo? Eles vivem na literatura de ficção mas já foram reportados inúmeros encontros, mas a maioria destes encontros são apenas testemunhos oculares...Em 1932 uma múmia com perto de meio metro foi encontrada por mineiros que procuravam ouro no estado do Wyoming nos Estados Unidos, este pequeno ser tinha as pernas cruzadas e os braços no peito, um nariz espalmado e uma pequena testa.Foi analisada por raio-x e investigada, o departamento de antropologia certificou que a múmia na altura da morte deveria ter perto de 65 anos e era portanto genuína. Havendo no entanto alguns cépticos claro, que especularam o que poderia ser alguma criança com uma doença congénita que provoca parecenças de um adulto com pequenas proporções, mas infelizmente, ao fim de alguns anos o corpo acabou por desaparecer devido aos diversos "empréstimos" entre investigadores.Mas o que é interessante é que os nativos daquela região tem lendas no seu folclore sobre pequenas pessoas, o que nos faz pensar nem que seja apenas um pouco.E assim, tal como dizem algumas crenças locais nos diversos lugares do mundo, com o passar dos séculos os elfos e os homens distanciaram-se evoluindo em universos separados e paralelos e em que se encontram ocasionalmente, mas diz-se que um dia os elfos irão sair dos seus esconderijos e formarão uma nova aliança com os homens...



Fonte: Dark Angel

quinta-feira, 20 de maio de 2010

"Super 'Hibope'"

Sei que esse vídeo não tem nada a ver com o assunto do blog, mas é uma peça de teatro estrelada por mim e por minha amiga, Carla, que fizemos para um trabalho de português. Está um pouco difícil de entender, mas assim que legendar-mos, posto a nova versão! video Personagens: Luciana Savegnago (Micael), Garota Kural (Karol), Sônia Abraão (Carla), Ex-BBB (Poliana) e Vilã vítma (Camila).

sábado, 13 de março de 2010

Criação do Céu e do Inferno

"No gênesis, o Diabo desempenhou com esmero a função de Superintendente da Criação. Deus, que também tinha um cargo de destaque, Secretário-Geral Espiritual, gostava de dar pitaco, mas era só bola fora. Pois bem, após várias interferências desastrosas aconteceu o inevitável, a Grande Guerra. O Diabo e sua horda de demônios enfrentaram bravamente os anjos, serafins e querubins. Como diria Riobaldo Tatarana: 'Meu sinhô, confusão comu essa, inté hoje ninguém viu.' Vencido, Deus e seus anjos foram banidos do paraíso para o céu, um lugar entediante e longe das delícias terrestres. Mas isso não o impede de fazer propaganda subversiva através das igrejas, dezendo que, um dia voltará."

Autor desconhecido.
(Enviado por A' Theos).

quinta-feira, 11 de março de 2010

Elfos

Os elfos são indiscutivelmente a raça mais antiga de Litarra, com uma vasta história cultivando uma grande paixão pela música e natureza e possuindo um grande respeito pelos espíritos. Os elfos são uma raça de seres imortais que habita as florestas mais antigas do continente e ao longo do tempo desenvolveram um equilíbrio entre suas vidas, a natureza que os abriga, as artes arcanas que tanto amam e seu espírito imortal. Personalidade: Elfos originalmente eram seres de espírito livre, mas sua imortalidade, a busca pela perfeição que esta raça compartilha e o contato hostil com outras raças endureceram o espírito dos elfos. Buscando um estilo de vida mais isolado e reservado do resto do continente os elfos utilizam sua imortalidade para obter a perfeição em tudo que fazem e valorizam diversas coisas ao longo de sua vida, como a música, poesia, artes e prática arcana. Vestimenta: A principal peça do vestuário dos elfos é uma roupa chamada selathemar (que a tradução literal é “cobertura de honra”). Essa peça é constituida de um longo sobretudo, feito do mais fino material, normalmente seda, que não possui mangas e é totalmente aberto na frente, possuindo apenas uma fivela na região do abdômem. Esta é a única peça constante no vestuário élfico, o restante das peças varia tanto que não é possível estabelecer um padrão, apenas que todas as roupas são do tecido mais fino possível, tendo os elfos desenvolvidos diversas técnicas e são capazes de deixar até mesmo o couro com o mesmo aspecto dos tecidos leves. Aparência: Os elfos apresetam proporções semelhantes a dos humanos mas são menores e, consequentemente, mais magros. A altura de um elfo varia entre 1,40 m e 1,70 m e seu peso entre 40 e 65 quilos. Os elfos possuem em sua totalidade peles claras, tendendo ao pálido e cabelos lisos, normalmente longos, que variam entre o dourado, prateado e loiro. Seus olhos são sempre de cores claras, normalmente verdes, mas as cores azul e castanho claro são comuns. Os elfos possuem traços corporais extremamente sutis, principalmente os seus traços faciais. Uma característica peculiar dos elfos é que eles não possuem pelos por todo o seu corpo, com exceção de seus cabelos e sombrancelhas. Por serem imortais os elfos são extremamente diferentes das outras raças, o tempo não tem significado para eles. Isso resulta em duas principais características, a primeira é que o corpo dos elfos funciona mais lentamente que o das outras raças, por isso eles não gastam tanta energia para realizar suas tarefas, o resultado disso é que os elfos necessitam dormir apenas de 4 horas diárias , diferente das outras raças que necessitam de 8 horas. A segunda é que sua imortalidade também mantém a integridade física de seus corpos, portanto os elfos nunca recebem penalidades nos atributos físicos devido a idade mas também fez com que a cultura élfica fosse estática, sem mudanças, o que se refletiu nas características individuais dos elfos, que também não ganham os bônus nos atributos sociais e mentais devido a idade. Relações: Os elfos são um povo reservado, não possuindo relações com nenhum outro povo. O que acontece é que, dependendo da localização, algumas vilas élficas não são capazes de produir tudo o que necessitam, por isso realizam comércio com os povos vizinhos, mas suas relações acabam neste ponto, não sendo desenvolvidas qualquer intimidade entre as raças. Os elfos são extremamente arrogantes e para eles a convivência com outras raças é, no mínimo, intolerável. Tendência: Os elfos acreditam em um equilíbrio natural, tanto em sua convivência com a natureza quanto em seus atos e personalidades. Por isso os elfos possuem uma tendência a seguir a neutralidade, mas indivíduos que seguem os extremos dos eixos éticos e morais existem, apesar de serem poucos. Terra dos Elfos: Os elfos habitam diversos bosques e florestas em diferentes locais de Litarra, em pequenas vilas que não ultrapassam 100 habitantes cada. Não importa aonde se encontrem estes locais são territórios élficos e estes farão de tudo para proteger suas terras e lembrar os outros povos disso. Essas vilas são verdadeiras comunidades no sentido mais puro da palavra, todos os habitantes desempenham papéis fundamentais para o funcionamento da comunidade. Não padrão montário para os elfos, o pouco comércio que existe nas terras élficas é feito com escambo. Os elfos também habitam uma ilha de considerável tamanho na costa nordeste do continente, esta terra abriga um número enorme de habitantes, para os padrões élficos, algo em torno de 5 mil pessoas e é território proíbido para qualquer outra raça que não compartilhe da imortalidade dos elfos, muitos foram os que tentaram pisar em suas terras e foram mortos pelos elfos. Esta também é o destino de qualquer elfo que viva no continente, por serem imortais, um fato que nunca vai mudar é que os elfos acabam adquirindo repulsa pelos costumes e cultura das outras raças mortais, isso acontecerá para todos os elfos, mais cedo ou mais tarde, e quando isso acontece os elfos migram para este local, para compartilhar parte de sua eternidade com seus companheiros imortais. Apesar de sua intolerância, algumas outras raças imortais possuem permissão para habitar essas terras, partindo da pressuposto que sua existência não incomode os elfos ou o equilíbrio, raças estas como os dragões. Religião: O panteão élfico possue duas figuras centrais Stril e Vala, os deuses que criaram o mundo. Ao lado desses dois deuses estão diversos deuses menores, incluindo Leneth Corvara, a criadora dos elfos. O panteão dos elfos também inclui alguns dos deuses presentes em panteões das outras raças, pois foram os elfos os primeiros a nomear os deuses. Idioma: A lingua dos elfos é composto por complexos fonemas que podem possuem diversos significados que dependem dos fonemas que os acompanham e qual é a sílaba tônica de uma palavra, tornando assim élfico um complexo idioma e muito raro de ser ouvido. Nomes: Os nomes élficos são escolhidos pelo próprio elfo, uma vez que será este o nome que carregará por toda eternidade, no momento que este quizer. Até este momento ele utiliza o nome dado a ele por seus pais. Os elfos também carregam o nome de suas família, ou como os próprios elfos se referem, casas élficas. Esses nomes são compostos de palavras com significados próprios em élfico.

-----------

Essa é uma pequena homenagem a minha grande amiga Carla (Elfa, como é conhecida por alguns), que ama os Elfos !!